PSICOTERAPIA

Atendo usando a Gestalt - terapia como referencial teórico. A Gestalt-Terapia, é uma abordagem psicológica que busca ajudar a pessoa a retomar o seu processo de desenvolvimento. Para a Gestalt, o desenvolvimento acontece quando a pessoa encontra suporte, o que pode ser oferecido pelo terapeuta, para estabelecer contatos de boa qualidade. Ou seja, para se relacionar de uma forma própria e singular, deixando sua "marca" no que faz e nos outros e para assimilar o que vive também de uma forma única. Quando isso acontece, a pessoa permanece em contente movimento e transformação!


PSICOTERAPIA INFANTIL

Uma criança pode precisar de terapia quando apresenta um comportamento (agressividade, agitação, dificuldade de concentração, dificuldade de aprendizagem ou de relacionamento…) ou sentimento (medo, tristeza, insegurança…) que provoca sofrimento de maneira recorrente. Nesses casos, a psicoterapia pode ser uma oportunidade de revelar o sentido do que a criança está expressando para que seja possível se relacionar com ela a partir de uma nova postura. Além disso, quando a criança enfrenta uma situação difícil como um acontecimento que provoca uma mudança abrupta na sua rotina, a morte ou adoecimento de uma pessoa próxima, entre outros fatores, a psicoterapia pode ser uma oportunidade de a criança expressar e compartilhar os seus sentimentos para alcançar uma compreensão sobre a sua experiência, o que permitirá que ela integre essa experiência.


ORIENTAÇÃO PARA PAIS

Em algumas situações, quando os pais se sentem inseguros na relação com seus filhos, as sessões de orientação podem ajudar a compreender o significado do comportamento da criança, para tornar mais claro o cuidado que precisam oferecer para seu filho(a) no dia a dia. A frequência dessas sessões varia de acordo com a necessidade de cada pessoa!

O primeiro passo depois que os pais identificam que a terapia pode ajudar o seu filho (a) é marcar a primeira entrevista. Em geral, são realizadas 2 entrevistas inicias com os pais ou responsáveis  para compreender o motivo que os levou a procurar terapia para a criança e coletar informações sobre a sua história de vida. A partir desses encontros iniciais, combino com os pais a frequência das sessões com a criança e das sessões de orientação.


PSICOTERAPIA DE ADOLESCENTES

Na adolescência, o desejo de fazer terapia pode partir do  próprio adolescente quando ele (a) identifica algum sofrimento ou dificuldade. É comum também que sejam os pais que identifiquem a necessidade de terapia para o (a) seu (a) filho(a) . Nesse caso, é importante compartilhar e explicar essa percepção para o adolescente. Se ele (a) concordar, o primeiro passo é marcar a primeira entrevista, que geralmente é feita com os pais ou responsáveis, seguida de outra entrevista com o adolescente. O processo prossegue com o adolescente e os pais são chamados de acordo com a necessidade de orientação.


PSICOTERAPIA DE ADULTOS

Os motivos que levam um adulto a procurar um processo de psicoterapia são os mais diversos: alguns chegam se queixando de um sentimento de vazio, de falta de sentido… Outros se queixam de sentimentos mais intensos que prejudicam as atividades do dia a dia, como crises de depressão, de alteração de humor, de pânico, fobias, vícios, disfunções alimentares… Também é comum que em uma nova fase da vida como o casamento, nascimento de um filho, aproximação da meia idade, morte de um parente, a pessoa sinta necessidade de ter com quem compartilhar seus pensamentos e sentimentos. Seja qual for o motivo, a psicoterapia na vida adulta representa uma oportunidade para a pessoa se apropriar da forma como vem fazendo escolhas na sua vida e encontrar um apoio para comunicar o seu anseio e vir a se expressar de forma cada vez mais espontâneo, evidenciando o que se tem de único e singular!